Notícia

Obras da coleção de Arte Fundação EDP em exposição no Museu do Oriente, juntamente com seis coleções institucionais

60 obras, 35 artistas. A metamorfose do corpo, interpretada por artistas portugueses e estrangeiros, mostra-se em O Olhar da Sibila – Corporalidade e Transfiguração, a nova exposição temporária do Museu do Oriente.

Trata-se de uma iniciativa pioneira em Portugal, uma vez que reúne obras de seis coleções institucionais: Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva, Coleção Caixa Geral de Depósitos, Fundação EDP, Fundação Millennium bcp, Fundação PLMJ e Fundação Oriente. 

Os trabalhos expostos - em fotografia, vídeo, desenho, pintura, escultura e instalação -, propõem um olhar transversal sobre a mutação do corpo, mas também sobre uma ideia de corporalidade enquanto objecto, por vezes abstracto, mas central na reflexão e criação dos artistas dos séculos XX e XXI, conforme ilustrado nas obras expostas.  “Essa corporalidade é também nomeação, através da palavra escrita, como imagem e narrativa, ou como título de algumas das obras, desvelando uma visão poética, mas também crítica, à qual não escapa a História da Arte e as estórias, quase íntimas, na relação entre artistas ou entre estes e o contexto em que estas obras foram criadas”, descreve João Silvério, curador desta exposição.

Entre os 35 artistas representados contam-se Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szenes, Helena Almeida, Julião Sarmento, Noé Sendas, Ângela Ferreira e Fernanda Fragateiro, Susanne Themlitz, Leonor Antunes (vencedora do Prémio Novos Artistas Fundação EDP em 2001), Li Yousong, Adriana Molder, Ramiro Guerreiro, entre outros. 

A visitar até dia 18 de junho, das 10h às 18h (à sexta-feira, o horário prolonga-se até às 22h, com entrada gratuita a partir das 18h).