Cultura | Grande Prémio Fundação EDP Arte

2002 – 2ª Edição

Grande Prémio EDP Arte 2002

Premiado: poeta e pintor Mário Cesariny (1923-2006)

Biografia

Nascido em Lisboa, em 1923, foi na Escola António Arroio que Mário Cesariny conheceu alguns dos seus futuros companheiros surrealistas. Em 1947 Cesariny conhece André Breton e, nesse mesmo ano, forma o Grupo Surrealista Português. Mais tarde, forma um outro movimento: Os Surrealistas. As suas primeiras exposições datam de 1949. Pinturas, colagens, ‘soprografias’, e cadavres-exquis fazem parte da sua obra plástica. No entanto, a pintura e a poesia foram sempre aliadas em Cesariny: muitas obras incluem palavras recortadas, conjugações de textos e imagens, e outras formas experimentais. A sua obra poética e teórica inclui inúmeras obras, reconhecidas pelo público.

Júri

Presidido por José Borges da Fonseca (em representação da EDP),
Bernardo Pinto de Almeida (crítico e historiador),
João Pinharanda (consultor para a área das artes plásticas da Fundação EDP),
António Rodrigues (crítico e historiador),
Vicente Todolí (diretor do Museu de Serralves).

Exposição

A exposição do Grande Prémio EDP 2002 decorreu no Museu da Cidade, em Lisboa, ocupando os espaços do Pavilhão Branco e do Pavilhão Preto, entre 2 de dezembro de 2004 e 13 de fevereiro de 2005. Foi ainda apresentada na Fundação Cupertino de Miranda, em Famalicão, entre 5 de março de 2005 e 30 de abril de 2005. Em 2006, a Fundação EDP foi convidada a apresentar parte deste projeto no Círculo de Bellas-Artes, em Madrid, entre 19 de setembro e 19 de novembro desse ano.